Capsulite adesiva ou ombro congelado.

A Capsulite Adesiva, também conhecida como Ombro Congelado, é uma doença do ombro que causa dor e perda de movimentos. Doença auto-limitada, a capsulite adesiva tem seu tratamento baseado nos sintomas.
São recomendados analgésicos, moduladores da dor, bloqueios anestésicos e utras medidas analgésicas como acupuntura e fisioterapia na fase inicial.

Introdução

Capsulite adesiva - normal e afetada.

Cápsula articular normal e afetada pela capsulite adesiva.

A capsulite adesiva, também chamada de ombro congelado, é uma patologia comum ao especialista de ombro e cotovelo, sendo sua incidência não conhecida. Entretanto, é estimado que 2 a 5% da população em geral desenvolverá a doença em algum momento da vida.

 

Anatomia

A capsulite adesiva afeta a cápsula articular (estrutura que reveste a articulação do ombro – cabeça do úmero e glenoide) e intervalo dos rotadores (intervalo entre os tendões do manguito rotador subescapular e supraespinhal). A patologia envolve a formação de tecido cicatricial e fibrose capsular.

Capsulite adesiva - imagem

Capsulite adesiva. Artroscopia.

 

O que é capsulite adesiva?

A capsulite adesiva é uma doença que acomete a cápsula articular que reveste a articulação do ombro, causando dor e perda de movimentos. Pode ser de origem primária ou secundária. Denomina-se primária quando não há nenhuma causa estabelecida e essa forma corresponde a 85% dos casos. A secundária pode ser de causa intrínseca (lesões do próprio ombro como luxação, fraturas, etc.), extrínseca (cirurgias abdominais, torácicas, etc.) ou ainda, sistêmica (diabete, disfunções de tireoide, etc.). Acomete mais mulheres do que homens na proporção de 3:1 e tem predileção pela faixa etária dos 40-50 anos.

 

Quadro clínico

Capsulite adesiva. Exames de imagem.

Capsulite adesiva. Exames de imagem.

O principal sintoma da capsulite adesiva é dor, podendo ser anterior ou posterior no ombro,. Apresenta geralmente três fases em sua evolução: a fase de dor, de congelamento e de descongelamento. A doença sempre obedece essa sequência, mas as fases são sobrepostas. Com relação à gravidade da capsulite, há três graus: leve, moderada e grave, todos relacionados à quantidade de perda da mobilidade do ombro. A capsulite adesiva é uma doença autolimitada, ou seja, o paciente apresenta remissão do quadro clínico em 95% das vezes, podendo ter durabilidade de até dois anos, permanecendo eventualmente algum grau de perda de amplitude de movimento residual. Pode acometer o lado contralateral em até 20% dos casos.

 

Exame físico

Realizado através de anamnese, testes funcionais (amplitude de movimento) e escores de avaliação funcional. Uma característica bem peculiar desta doença é a perda de mobilidade tanto ativa quanto passiva em todos os sentidos da articulação.

 

Exame de imagem

Na maioria dos casos o diagnóstico é dado pela história e exame físico. Os exames de imagem servem mais para excluir outras causas de rigidez, como osteoartrose ou osteonecrose. A ressonância magnética pode mostrar uma aumento da espessura capsular e inflamação no recesso axilar e no intervalo rotador.

 

Diagnóstico diferencial

Osteoartrose, osteoncrose, fase aguda da tendinite calcárea, neoplasias, doenças autoimunes acometendo a articulação do ombro (Lúpus, Artrite Reumatóide).

 

Doenças relacionadas

Diabete mellitus tipo II e hipotireoidismo estão entre as principais relacionadas.

 

Tratamento da capsulite adesiva

Como se trata de uma doença auto-limitada, o tratamento da capsulite adesiva é baseada nos sintomas. Na fase de dor são recomendados analgésicos, moduladores da dor e bloqueios anestésicos seriados do nervo supra-escapular. Outras medidas analgésicas como acupuntura e fisioterapia são válidas. Assim que o ombro entrar na fase de descongelamento iniciam-se os exercícios suaves de alongamento com o fisioterapeuta. A maioria dos casos curam dessa forma sendo raros os pacientes que necessitam de intervenção cirúrgica, que, quando indicada, é realizada a capsulotomia 360 graus por videoartroscopia.

 

Fisioterapia

Envolve duas fases principais: analgesia local no ombro afetado e ganho de amplitude de movimento gradual através de exercícios suaves assistidos por um profissional de fisioterapia.

Capsulite adesiva. Videoartroscopia.

Capsulite adesiva – Videoartroscopia.

error: Content is protected !!